Na publicação “Me, my life, my wallet”, a KPMG apresenta um modelo de três vertentes que mostra como os consumidores tomam decisões. São elas: as cinco coisas mais importantes para o consumidor, o bolso do cliente e como lidar com as ondas de mudanças entre gerações. A pesquisa consiste em uma análise sobre como as alterações sociopolíticas e econômicas, a adoção acelerada de novas tecnologias e a mobilidade estão impactando os fatores que influenciam o comportamento do cliente.  “Todos os dias, novas influências impactam a motivação, o comportamento e o consumo dos clientes, e essas forças estão invertendo os indicadores tradicionais de quando, por que e com o que o cliente gasta dinheiro”, analisa do sócio da KPMG líder para a área de bens de consumo, Guilherme Nunes.

As cinco coisas mais importantes para o consumidor

De acordo com o levantamento, os itens mais importantes para o consumidor são: motivação, atenção, conexão, tempo e bolso. “Cada um deles, quando analisados isoladamente, mostra apenas um aspecto da história do comportamento de um consumidor. Quando considerados conjuntamente, permitem que as empresas entendam a complexidade da tomada de decisão do cliente a ponto de conseguirem lidar com ele e obter um entendimento mais rico dos fatores que afetam as preferências e as necessidades em constante transformação desse público”, comenta Nunes.

O bolso do cliente

De acordo com o estudo, esse item é uma estrutura que apresenta ideias novas sobre o relacionamento do cliente com o dinheiro, incluindo as forças que influenciam quando, onde, como e por que gastamos ou não. “Entender a combinação entre renda, gastos e economias e como isso muda, de geração para geração e conforme os acontecimentos na vida de uma pessoa, proporciona um nível de inteligência que vai além daquele oferecido pelos modelos convencionais”, analisa o sócio da KPMG.

Como lidar com as ondas mudanças entre gerações

“Identificar os sinais de mudança é essencial para acompanhar o ritmo dos clientes em constante transformação. Encontrar as formas certas de obter e analisar esses sinais ajudará as empresas a prever melhor as necessidades e as expectativas dos clientes,” finaliza Nunes.

Veja também: