Na última quarta-feira (4), os diretores da ACISA receberam a visita do advogado Denis Croce, da Assessoria Empresarial D’Croce & Costa, especializada em certificação voltada ao compliance. Um assunto bastante oportuno num momento em que muitas empresas e dirigentes estão envolvidos em escândalos de corrupção e suborno, impactando o mundo corporativo.

Nos âmbitos institucional e corporativo, compliance é o conjunto de disciplinas estabelecidas para fazer cumprir as normas legais e regulamentares; as políticas e as diretrizes estabelecidas para o negócio e para as atividades da instituição ou empresa, a fim de evitar, detectar e tratar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer.

De acordo com o advogado Denis Croce, o Brasil ocupa a posição 96ª em um ranking de 180 nações que praticam o crime de corrupção e esta posição é compartilhada com países como Colômbia, Indonésia, Panamá, Peru, Tailândia e Zâmbia, perdendo para Timor Leste, Sri Lanka, Burkina Faso, Ruanda e Arábia Saudita.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) também já chegou a fazer um estudo sobre o custo da corrupção em nosso país e projetou que até 2,3% do PIB nacional são perdidos por ano com práticas corruptas. “Estudo recente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que cada R$ 1,00 desviado pela corrupção representa um dano para a economia e para a sociedade de R$ 3,00”, justifica.

Diante desses dados alarmantes, muitas empresas têm procurado disseminar a importância de se traçar uma cultura organizacional pautada em profissionalismo e ética, além de buscar certificações que atestam sua idoneidade. Uma empresa que segue esses princípios éticos e um padrão comportamental de respeito às leis e às regras tem maior credibilidade no mercado, melhor imagem institucional e consegue reter e atrair mais talentos para sua equipe de trabalho. Não podemos esquecer que hoje, os consumidores estão também muito mais exigentes.

Em breve, esse assunto será abordado com maior profundidade com os associados da ACISA. Aguardem que logo divulgaremos mais informações.

Veja também: