A maneira como você enxerga inteligência tem tudo a ver com dois aspectos muito importantes: seu sucesso como profissional e as notas do seu filho na escola. Pense bem: você costuma encarar inteligência como um talento inato ou como uma habilidade desenvolvida ao longo da vida?

Sobre esse tema, a psicóloga Carol Dweck, da Universidade de Stanford, conduziu alguns estudos que mostram justamente o impacto de enxergar a inteligência dessas duas maneiras diferentes. Em um deles, ela mostrou como jovens estudantes tendem a obter uma performance melhor quando confiam mais no próprio esforço do que em elogios sobre o quanto são inteligentes.

Durante certo período monitorando esses jovens em exames escolares, ela levantou dados que comprovaram que aqueles alunos elogiados sobre o esforço que estavam fazendo para completar uma tarefa se saíram melhor do que aqueles que eram elogiados por serem inteligentes. De um modo geral, os primeiros se sentiam mais motivados a se desafiarem e a aceitarem a dificuldade como uma forma de tentar novamente e insistir até conseguirem resolver um problema. Aqueles que eram elogiados pela inteligência, por outro lado, tinham mais dificuldade de sair da zona de conforto e tinham medo de perder a reputação, caso errassem um exercício. Portanto, desistiam de desafios maiores com mais facilidade.

Um estudo da Universidade New South Wales, da Austrália, chegou às mesmas conclusões, porém analisando o ambiente corporativo. De acordo com o estudo, gerentes com um pensamento fixo sobre inteligência, ou seja, que acreditavam nela como um dom em vez de algo desenvolvido ao longo da vida, tinham mais dificuldade para aceitar feedbacks sobre seus desempenhos. Em contrapartida, aqueles que encaravam a inteligência como uma habilidade desenvolvida ao longo do tempo tiveram mais abertura para feedbacks. Enquanto os primeiros ficaram presos na ideia de que um feedback era uma forma de confrontar suas competências, os demais encaravam o feedback como uma ferramenta necessária para evoluírem como profissionais.

Acreditar no seu esforço ajuda a trazer um senso de realidade e humildade que permite que você esteja aberto e motivado para crescer cada vez mais. Seguindo essa linha de raciocínio, seu crescimento será sempre uma trajetória em desenvolvimento e você terá mais condições de chegar mais longe.

Em contrapartida, prender-se à premissa de que a inteligência é algo fixo acaba por te deixar engessado em uma posição. Para não perder o status-quo que lhe foi admitido, você evita sair da zona de conforto, teme encarar desafios e cometer erros. Em suma, em vez de encarar os tropeços como uma forma de crescimento, acaba enxergando-os como uma forma de se sentir diminuído, como se estivesse sendo desmascarado.

Como vimos aqui, esses condicionamentos não se limitam às notas escolares. Prender-se à vaidade dos elogios pode impedir que você alce voos maiores em sua vida profissional. Valorize seu esforço e permita-se errar para poder crescer de verdade.

Fonte: G1

Compartilhe:

Veja também: