Não é mais novidade que a simples presença no ambiente digital não é suficiente para o negócio ser encontrado ou prestigiado na internet. Ter um endereço na web e uma “cara” nas redes sociais pouco valerá se a empresa não explorar esses espaços com estratégias eficientes de marketing digital. Mas, para muitos empresários, o assunto ainda é pouco familiar e a percepção equivocada de que o trabalho de marketing digital é complicado e muito custoso faz com que esses negócios percam a oportunidade de desenvolverem suas marcas na web.

Ao contrário do que muita gente pensa, um plano estratégico de marketing digital é, sim, assunto para pequenas e médias empresas. A garantia é do Sócio-Fundador e Diretor Executivo da agência de marketing digital Calina, Daniel Palis. “Nossos clientes são pouco familiarizados com o marketing digital, que, de fato, tem um idioma próprio. Por isso atuamos para criar no cliente a cultura do marketing em ambiente online, tirando todas as dúvidas e explicando de maneira clara como os serviços que oferecemos podem impactar positivamente o negócio”, explica Palis.

E quais são essas estratégias? O criador da Calina explica 5 principais delas, traduzindo como funcionam na prática e de que forma ajudam as empresas a serem notadas na internet. Conheça cada uma delas:

  1. Encontrar o cliente com o perfil perfeito no Facebook

Os anúncios no Facebok são uma estratégia interessante porque eles normalmente fisgam o cliente no momento de lazer e quando ele tem algum tempo disponível. A estratégia é possível por meio do Facebook Ads, ferramenta de performance do Facebook que permite a veiculação de anúncios das marcas em diversos espaços da tela do usuário. Segundo Daniel Palis, o grande diferencial das ações de marketing nesse ambiente é que elas podem ser direcionadas para o público mais interessante para o negócio.
“Podemos construir um filtro bem específico, como perfis de mulheres de 20 a 40 anos, que moram no Rio de Janeiro e têm interesse em lazer e esportes. Além disso, é possível direcionar a estratégia, definindo, por exemplo, se o foco é em venda ou em engajamento do público com a marca”, detalha. De acordo com Palis, o Facebook Ads ainda engloba as campanhas a serem veiculadas no Instagram.

  1. Aparecer entre os primeiros na lista do Google

Ter o endereço do site no topo da lista de “sugestões” do Google para as pesquisas dos usuários é o sonho de muitos empresários. O que muitos deles não sabem é que isso é possível por meio do uso do Google Ads, ferramenta de Performance do Google. Ela permite a inserção de anúncios e links relacionados às marcas nas listas que são exibidas ao internauta após a busca. A propaganda pode ser direcionada para determinadas pesquisas e por meio de palavras chaves.

De acordo com Palis, as regras para utilização do Google Ads são um pouco mais complexas e funcionam a partir de uma dinâmica de leilão, no qual participam marcas do mesmo segmento e com as mesmas palavras chaves. Nesse sentido, quem tem melhores estratégias para a utilização do Google Ads e dispõe de mais recursos para a compra de palavras chaves aparece primeiro na lista do Google.

  1. Monitorar com tags

Um dos segredos para ter bons resultados com as campanhas de marketing digital é o monitoramento delas. Para isso utiliza-se as tags, que vão ajudar a diferenciar as estratégias que estão dando certo das que não levaram a resultados. Elas também ajudam a entender melhor a “jornada do consumidor”, que é o caminho que o internauta faz até a conversão.
As tags são trechos de códigos de programação que são inseridos nas páginas da internet e que são capazes de coletar informações importantes para a mensuração de resultados das campanhas. Elas trazem dados como quantidade de cliques em determinado anúncio, origem do tráfego, conversões, entre outros.

“A inserção desses diferentes códigos nas páginas pode ser confusa e difícil de administrar. Por isso utilizamos o gerenciador de tags Google Tag Manager (GTM). Com ele é possível controlar todas as tags em um único lugar, evitando a alteração do código fonte das páginas toda vez que for necessário a inclusão, exclusão ou manutenção de alguma tag”, explica Palis.

  1. Seguir o cliente na internet

Todo usuário ativo da internet já teve a experiência de procurar por um produto no Google e depois ser “perseguido” por anúncios dele. A estratégia é bastante eficaz para a conversão em vendas e só possível graças à utilização de “Cookies”, que é uma memória temporária do navegador.

Daniel Palis explica que uma marca pode utilizar uma tag de Remarketing Dinâmico em sua página ou e-commerce. Essa tag vai gerar um número aleatório (id), que será salvo nos Cookies do navegador do usuário que entrar na página. Esse número ficará associado aos produtos que o internauta pesquisou, colocou no carrinho ou eventualmente comprou. Dessa forma, é possível utilizar essa informação para criar campanhas de produtos que o usuário tem interesse.

“Essa estratégia é eficaz porque a marca impacta o cliente somente com anúncios que são do interesse dele. Com um anúncio mais relevante, a marca tem mais chance de conversão de venda”, completa o fundador da Calina.

  1. Construir uma página que será uma “máquina de venda”

Na busca pela conversão de vendas, as Landing Pages são uma solução prática. Conhecidas como páginas de aterrissagem ou páginas de conversão, as landing pages são páginas desenvolvidas com menos elementos e links do que as tradicionais. Com esse formato elas evitam distrações dos usuários e mantém o consumidor concentrado no foco da marca, que é a conversão. “É o tipo de página que possui todos os elementos voltados à conversão do visitante em lead, oportunidade ou cliente. Elas são muito usadas em campanhas de marketing digital, pois costumam ter altas taxas de conversão”, afirma Palis.

Fonte: Portal Newtrade

Veja também: